Meu Marido fodendo um gay na boate by admin

Fui com uma mini saia jeans bem curta e ele estava muito tímido, com vergonha mesmo e eu muito puta, nunca tinha entrado num lugar como aquele, mas me senti muito a vontade, estava com muito tesão… dancei muito e o provocava bastante, até q em um dado momento ele pediu p q eu fosse no banheiro e tirasse minha calcinha, obedeci.

Quando voltei tinha um gay dançando perto dele se insinuando e percebi q ele estava constrangido, mas gostando foi quando cheguei perto dele e comecei a provoca-lo ate ele colocar sua mão por debaixo da minha saia, me fodia com seus dedos… eu cheguei a gozar ali de pé dançando e o gay ao lado percebeu que estava rolando e se aproximou, puxou conversa e logo estávamos numa sala escura no fundo da boate, meu marido tirou o pau para fora e o gay caiu de boca na vara dele, engolia tudo com muita vontade e aquilo me excitou demais, ergui minha saia, virei de costas e mandei meu marido me comer ali mesmo, queria muito aquele pau e gozei outra vez foi quando para minha surpresa, ele se ajoelhou e começou a chupar o cacete do meu marido, e falou que só conseguia comer depois de dar o rabo, enquanto ele chupava meu marido eu voltei a chupar o pau dele.

Quando ele sentiu que estava pronto pediu para o meu marido comer o cu dele; meu marido não queria mas com muita insistência minha ele começou a enfiar no cu dele, que parecia estar acostumado pois entrou fácil.

Era uma cena inacreditável, um gay daqueles com uma rola enorme e dura sendo enrabado, fiquei boquiaberta só observando ele dar o cuzinho para o meu marido. Ele socou com entusiasmo, bombando com violência no cu do gay, arrancando gemidos e lágrimas dele, já que o pau do meu marido é grande…

Olhei sacana para o meu marido e perguntei se ele queria me comer de novo ele disse que sim, mas não queria mais ali , queria ir p casa, então nos despedimos do nosso novo amigo e fomos para casa cheios de tesão e começamos tudo de novo, mas agora só nós dois…rsrs

Read more

Minha primeira infidelidade by admin

Na mesma casa onde nós dois moramos, moram também minha sogra e minha cunhada Alexandra, uma morena alta, linda e de cabelos compridos. E como os cômodos são juntos e os vitros do banheiro dela vai direto para minha área de serviço, tive o privilegio de numa noite ter um lazer com minha cunhada: observei minha cunhada gostosa tomando banho e trocando de roupa. Quanto mais eu observava aquela morena de bundinha arrebitada, peitos médios e com os pentelhos da buceta raspadinhos mais rápido eu batia uma punheta e o meu tesão por ela se acendia com força. Acho que estava ficando apaixonado por aquela mulher, ou talvez fosse só desejo ou atração.

A noite eu acabei comendo minha esposa com violência, pensando na minha cunhada. Penetrava a Erica com força, pensando na Alexandra. A imagem da minha cunhada nua e toda molhada após o banho não saia da minha mente, e toda vez que a Erica de quatro, com aquele bundão pra cima, pedia para eu ir com calma eu enfiava com mais força, enquanto que da minha boca saiam palavras tipo: “sua puta!”, “você gosta de uma rola, então toma!”. Ela gemia de dor, mas tinha prazer misturado. Tentava fugir de mim, mas sem muita sorte, pois os 23 cm de pica que eu tenho pareciam estar colados dentro de sua buceta. E logo após minha esposa ter tido 2 orgasmos intensos, gozei nos seus peitos, terminando com uma bela chupada.

E após o banho na hora de dormir Erica me fala sorrindo: o que foi tudo isto? o que te deixou assim?

– Eu precisava aliviar o stress e gastar um pouco de energia, afinal de contas amanhã é sábado e eu não vou trabalhar!

– Amor, tudo bem que você não vai trabalhar, mas minha mãe e minha irmã devem ter perdido o sono com o barulho que nós fizemos. Só pensei: tomara que a Alexandra tenha ficado com muito tesão.

Na manhã seguinte fui pedir emprestado a revista Veja para minha cunhada, que me recebeu de saia jeans bem curtinha e um top de cetim, me passando a revista, tocando em minha mão. E nós dois nos olhamos de uma maneira diferente, como se ambos estivesse pensando na mesma coisa. E naquele momento a única coisa que passava pela minha cabeça era fazer sexo com minha cunhada. Naquela hora ela me disse:

– O que foi? Você esta tão estranho!

– Nada, é que hoje você esta tão linda…

– Obrigada, ultimamente venho sentindo falta de elogios como este. Tenho inveja da minha irmã de ter um marido tão cavalheiro e bonito.

– Você me acha bonito? Ta de brincadeira!!

E olhando abaixo da minha cintura ela diz: é sim, você tem partes do corpo bem interessantes.

Na mesma hora apertei o meu pau e ela me olhou sorrindo.

– De que partes do meu corpo você gosta?

E se virando e indo para dentro de sua casa ela diz: da parte que faz a minha irmã feliz!

Procurei não ir atrás dela, pois a Erica estava em casa, e eu não queria dar bandeira e por em risco o meu casamento.

Passei o dia pensando naquele momento e acabei só saído de casa para ir ao supermercado com a minha esposa, passando o restante do sábado dentro de casa.

A noite, pela segunda vez consecutiva eu literalmente acabei com a minha esposa. Trepei como um animal, a penetrei com toda força possível e em todas as posições. Eu a tratei como uma verdadeira puta, e ela adorou. Minha esposa e gostosa, mas meus pensamentos estavam voltados para minha cunhada e em seu corpo delicioso e na troca de olhares e nas palavras de Alexandra naquela manhã. Propositalmente, eu fazia com que a Erica gritasse com as minhas penetrações impiedosas, pois já imaginava que Alexandra deveria estar escutando tudo, mas ela não sabia que o meu desejo é que fosse ela naquela cama sendo penetrada com força.

E após um sexo gostoso com a minha esposa, e enquanto minha mulher dormia fiquei imaginando minha cunhada que adora uma noitada, sem namorado para satisfazer sua vontade de sexo. Alexandra e um mulherão para ficar sozinha, mas ela se queixava que todos os seus namorados colocam chifre nela. Realmente, no pouco tempo que a conheço o cara que mais fez minha cunhada de corno foi um “engomadinho” que aparecia de vez em quando só para come-la. E do meu quarto dava pra perceber o quanto ela estava necessitada de uma foda. Os gemidos eram intensos.

Minha curiosidade levou a espiar de mais perto a minha cunhada por volta de 1 hora da manhã, pois de tanto pensar nela, acabei ficando sem sono.

No quintal, cheguei próximo a janela do quarto da minha cunhada, onde uma claridade mostrava que ela estava acordada. E olhando pela fresta da janela notei que ela estava no computador, e minha surpresa foi ver que o seu passatempo era assistir vídeos pornográficos pela Internet. Nossa, aquela putinha estava nua, com aqueles peitinhos deliciosos, só com uma calcinha branca arreada abaixo dos joelhos e massageando a sua bucetinha com a ponta de um pênis de borracha. Não agüentei, e tirei o meu short ali mesmo no quintal para bater uma punheta, sem me preocupar com a minha sogra ou que minha esposa acordasse.

Meu pau tava muito duro, meu coração estava acelerado e minhas pernas tremiam de ver a gostosa da minha cunhada naquela situação, e de tão focado naquela imagem, minha cunhada deve ter percebido uma sombra na janela, e rapidamente se cobriu com um edredon, desligou o computador, levantou e abriu a janela, me pegando colocando o short e com o pau tão duro que o short não conseguia esconder.

Alexandra só olhou para mim e para o meu pau duro com a cabeça para fora do short, e perguntou:

– O que você esta fazendo seu maníaco sexual, tarado, safado…

E com uma dose de loucura, eu falei: deixa eu entrar ai que eu te mostro. Afastando minha cunhada e pulando a janela.

Minha cunhada assustada pedia pra eu sair dali.

– Sai daqui agora senão eu grito ou ligo para a policia seu doente!

– Alexandra, eu to ficando doente por você a muito tempo. Deixa eu te fazer feliz essa noite.

– Você ta maluco, você é casado, não vai respeitar sua mulher?

– Agora não. E na mesma hora agarrei minha cunhada e a beijei.

Minha surpresa foi ver ela aceitando o beijo, deixando o edredon cair e me abraçando e arranhando as minhas costas.

E logo após um beijo longo que me deixou com as pernas bambas, ela me diz: vou curar sua loucura seu tarado. E arreando meu short, pegou no meu pau e pondo na boca e me dizendo sacanagens do tipo: “sempre sonhei com o pau do marido na minha irmã na minha boca”; “apartir de hoje serei a sua puta”; “quero te fuder todinho, seu maníaco”.

E logo após algumas chupadas e lambidas no meu saco , ela virou-se de costas se atirando na cama e ficando de quatro e me chamando:

– Vem logo cunhadinho que eu não to mais agüentando.

E nisso fui colocando na sua bucetinha que estava toda meladinha, e que delicia, a safada gemia pedindo mais .

– Vai Serginho, acaba com a sua cunhadinha. Me arromba com esse pirocão.

E depois de tanto socar naquela buceta, em pouco tempo ela me pede pra parar e pegar um liquido que estava emcima do rack do computador. Ela também sai da cama, e pega o piru de borracha que estava no chão embaixo do rack, e diz pra mim:

– Passa esse lubrificante aqui, pois agora você vai colocar no meu cuzinho, pois eu quero gozar com uma pica no meu rabo!

Mas a minha surpresa que depois de eu colocar toda a minha pica naquele cuzinho apertado, com a minha cunhada gemendo de dor e reclamando que eu tava machucando-a, ela pega o pinto de borracha e coloca na sua buceta, fazendo uma vai-e-vem e rebolando a bunda.

Não demorou 2 minutos e Alexandra gritava e empurrava a bunda contra o meu pau.

Nossa parecia que ela estava chorando, mas na verdade ela gozava de um jeito que nem a minha mulher agia assim num orgasmo.

E preocupado que a Erica escutasse com os gritos que Alexandra deu, eu quis parar mas ela falou que queria sentir minha porra dentro de si e começou a gemer cada vez mais alto me fazendo gozar dentro do seu cuzinho. Nossa, minha visão ficou até escura e perdi a respiração. E após cair deitado na cama. Ale, sobe em cima de mim, me da um beijo na boca e fala no meu ouvido “essa sempre foi uma fantasia minha e a Erica nem disconfia”.

– E mesmo, então vamos até o banheiro para realizar uma fantasia minha.

Pegando minha cunhada pelo braço, levo ela até o banheiro de sua casa sem nenhuma preocupação que minha esposa ou sogra acordasse.

E entrando no Box e ligando o chuveiro na água quente comecei a beijá-la e caraciar o seu corpo.

– Quantas vezes eu já sonhei com essa cena. Seu lindo corpo, com essa água quente, que loucura! O que eu não daria para tomar uma banho com você meu amor! Ensaboar você todinha, e esfregar cada pedaço de sua pele macia… Encostar você na parede do boxe e lambe-la por inteiro, colocando minha língua na sua bucetinha linda, apertar forte a sua bunda e ouvir você implorar pelo meu pau duro, que vai estar sempre pronto para servi-la.

– Eu sei que você me espionava enquanto eu tomava banho e me arrumava para sair…

– E você gostava?

– Claro! Me dava tesão de ver o maníaco sexual do meu cunhado me olhando.

– Cala essa boca sua safada, antes que a Erica acorde e acabe com a nossa brincadeira.

– Então me chupa seu tarado, você precisa de um tratamento! Homem que fica espionando uma mulher nua e fica tocando punheta só pode ser um maniaco.

– E você que é viciada numa sacanagem pela Internet, porque não cala a boca e chupa o meu pau!!

Aquele boquete foi o melhor da minha vida, e já não agüentando mais minha cunhada pede pra eu deitar no chão para iniciarmos um 69 bem gostoso.

Ela mal conseguia chupar o meu pau e acabou gozando na minha boca.

E batendo uma punheta, seus gemidos me fizeram gozar, e quando saiu o primeiro jato de porra, minha cunhada abocanhou o meu cacete e mamou ele todo engolindo o restante do meu leite.

Na mesma hora, ouço a Erica me chamando.

Sai correndo do banheiro, peguei o meu short e pulei a janela.

Na porta de casa ela me pergunta : onde você estava, e porque esta todo molhado?

– Amor eu tava sem sono e com calor , tomei um banho e preferi não me secar.

– Ta bom, vamos dormir que já são quase 3 horas da manhã.

Nossa nunca durmi tão bem na minha vida, e ainda mais tendo a melhor cunhada do mundo!

Read more

Acompanhante desvirginando um seminarista by admin

Conversamos Muito quando de repente ele todo se tremendo começou a alisar todo meu corpo carinhosamente. Suas mãos eram muito macias. Depois começou a me cheirar. Todinha. Fiquei toda arrepiada.

Aí não agüentei… Fui ficando molhadinha só de saber que ele realmente era virgem porque se tremia demais; e já estava vermelho. A respiração ofegante. Então o deitei e pedi pra ele deixar eu lhe dar muito carinho. Beijei seu corpo todo. E ele se arrepiava, então, mas excitada eu ficava. Coloquei suas mãos sobre meus seios e pedi para apertar levemente.

Ele começou a tremer; em seguida desci mais um pouco para colocar o preservativo e ele disse que doía. Nesse momento tive certeza de que era mesmo virgem. Então comecei a ficar preocupada, meio sem saber o que fazer, pois sempre fico com receio de machucar.

Mas ele foi relaxando mais e quando me dei por conta já estávamos nos acariciando, nos amassando bem gostoso sem se preocupar com mais nada. Então ele veio pra cima de mim sem muito jeito, pois não tinha costume e colocou seu pênis com vontade!

Nossa que delícia. Bem grossinho e muito duro. Sentia latejar lá dentro. Ele perguntou se me machucou. Disse que não e ainda pedi pra colocar mais forte… E mais… E mais… Até que ele gostou.

Foi muito bonito gozando porque gemeu diferente e parecia que seu coração ia sair pela boca. Deitamos abraçadinhos e ele disse que se sentia no paraíso. Tão bem como nunca estivera antes. Comecei uma massagem porque parecia exausto. Aí quando vi que seu pênis começava a subir novamente passei para uma massagem mais erótica; e lá fomos nos de novo com toda fúria e vontade do mundo.

Nessa ele se soltou mais. Mamou bastante em meus seios sem parar, me beijou por inteiro e assim que coloquei o preservativo ele empurrou aquele brinquedo maravilhoso todo lá dentro.

Pedi pra ficar de 4 e ele não sabia ficar nem mexer legal nesta posição. Tudo era novidade pra ele. Mas conseguimos nos posicionar e então ele enlouqueceu. Disse que era uma visão dos deuses.

Pedi pra colocar bem forte e então senti seus testículos batendo em minha bocetinha. Nossa! Como era gostoso. Senti que ele ia gozar novamente e comecei a delirar. Pedi pra puxar meu cabelo, apertar meu bumbum e então gozamos ardentemente.

Deitamos exaustos! E novamente massagem… Mais massagem conversa boa, muitos carinhos e nos despedimos. Pensei que fosse ficar envergonhado e que nunca mais o veria, mas hoje ele ligou marcando pra amanhã. E amanhã será muito especial, pois vou dar-lhe um presentinho. Esse bumbum com muito gosto!

Conto de Myli – Veja aqui essa acompanhante de Fortaleza

Read more

O preço do sucesso by admin

Agora estou com muita raiva ! Meu marido contou a piada do médico japonês que receitou um remédio que deixa toda mulher contente, dócil e obediente. E que o nome do remédio é Taron, ele disse que é o Taron de cheques e caiu na gargalhada, e foi trabalhar sem nem me dar um beijo de despedida.
Isso me deixou muito brava, tratando as mulheres como mercenárias …. ainda mais eu !!!

Se ele soubesse que só tem cargo de diretor na empresa graças a mim !!.
Fiquei tão furiosa, que para tentar me acalmar, liguei meu computador comecei a viajar pela internet e encontrei esse site onde as pessoas cotam suas experiências. Pois bem, até hoje guardei segredo, mas depois do que acabou de acontecer, quero extravasar esse segredo, para poder me acalmar e também para tranqüilizar minha consciência.

Meu marido hoje com 32 anos, é diretor de uma grande empresa e é o mais jovem diretor. Com 30 anos era gerente de divisão e respondia diretamente ao filho do dono, que o tratava com carinho especial, ele sempre me contava que o filho do manda chuva, o Dr. Andrade, com 45 anos na época e futuro sucessor do pai, sempre o defendia e o protegia e com isso eu me sentia muito grata a ele, mesmo sem o conhecê-lo.

A primeira vez que o conheci, foi no casamento da filha dele, meu marido foi o único gerente a ser convidado. Fui com um vestido que meu marido me dera no aniversário, quando fiz 30 anos, sou 4 anos mais jovem que ele. O vestido era justo da cintura para cima, realçando os seios, e o decote deixando ver o sulco entre eles, mais uma cinta larga para marcar a cinturinha e a parte de baixo até quase os joelhos, mais a meia e sapatinho, segundo meu marido eu iria ofuscar a noiva !

Tenho 1.62m e 51 Kg, como sou descendente de espanhóis, tenho o corpo típico das espanholas, magra, com bumbum arrebitado e seios grandes. Meu marido diz que quem viu uma espanhola, viu todas, pois todas são iguais, e acho que tem razão, pelo menos minha mãe, minhas tias e minhas primas são todas assim.
Na igreja, ao cumprimentar os noivos e o pai dela, ele me apresentou o Dr. Andrade, seu chefe, e notei que ele me olhou de cima a baixo. Ele é um senhor muito atraente, lindo e charmoso, parece o ator Antonio Fagundes, inclusive com aqueles cabelos grisalhos, alto.

Na festa da recepção, ele veio até nossa mesa e ficou conversando longamente conosco, mandou que parasse de chamar de Dr. Andrade e que para os amigos ele era apenas o Andrade.
Ele me convidou a ir ao escritório da empresa, para conhecer a sala do mais competente gerente, que era meu marido. Ele era adorável, simpático, bonitão, divertido. Mas me fez prometer que quando fosse, iria à sala dele tomar um cafezinho. A esposa dele ao contrário, era arrogante, devia pesar mais de 100 quilos, apesar de ter minha altura, e exibia muitas jóias caras nos dedos e no pescoço.

Um dia, meu marido estava na filial de Curitiba e me ligou pedindo que eu procurasse um relatório dentro da pasta dele e que o Dr. Andrade estava precisando urgente e não poderia esperar até o dia seguinte, pois o avião dele só chegaria a São Paulo, em Congonhas as 18H, e perguntou se eu poderia levar imediatamente até o escritório. Quando percebi o desespero dele, me ofereci para levar o documento ao escritório.

Coloquei uma saia justa preta, blusa de malha colante branca manga curta, sapatinho de salto preto, e uma linda bolsa que ganhei do meu marido. Olhei no espelho e a imagem refletida me fez sentir bem. Parecia uma executiva a caminho do serviço!

Chegando ao escritório, fui mandada direto para a sala do Dr. Andrade que já me esperava, pois meu marido já o tinha informado que eu mesma iria levar o documento. Ele apesar dos inúmeros afazeres, me dispensou toda atenção, ele era tão cavalheiro que dava a impressão de que no mundo só existia eu.
Ele me mostrou uma outra sala enorme no andar da diretoria, com uma belíssima vista da cidade, e disse que aquela sala estava vazia até que um novo diretor fosse nomeado, e que esse diretor teria carro da empresa, secretária, bom salário, etc, etc.

No momento, não sabia nem porque ele estava me contando tudo isso, que a meu ver, era assunto da empresa e que não me dizia respeito. Ele disse que estava se esforçando para que meu marido ocupasse a sala, como novo diretor, mas que a luta estava muito difícil porque havia outros pretendentes ao cargo. Na hora eu achei graça e ri, pois sabia que meu marido nunca ocuparia um cargo tão alto. Ele continuou insistindo que ele estava fazendo de tudo que ele podia para promover meu marido. Naturalmente, eu agradeci a ele, por isso. Ele disse que todos precisavam se esforçar para que esse objetivo fosse atingido, e perguntou se eu também me esforçaria para isso. Eu disse que sim, claro, era a esposa dele, e desejava o sucesso dele.

Foi aí, que ele me perguntou, até que ponto eu estava disposta a me empenhar nesse esforço, pois dependendo do meu engajamento na causa, esse sonho poderia se realizar.

Foi aí, que percebi onde ele queria chegar !!

A promoção do meu marido a diretor, tinha um preço, e o preço era eu ! E eu que achava que o Dr. Andrade fazia isso por ser um homem bondoso que reconhecia o valor do meu marido !

Ele mandou que eu sentasse na poltrona que poderia ser do meu marido, na sala fechada, só eu e ele. Ele segurou a minha mão e perguntou, novamente, você faria tudo o que fosse necessário para a promoção dele ? Fiquei vermelha, nervosa, decepcionada, brava, enfim, fiquei meia perdida. Ele começou a enumerar as vantagens que meu marido teria como diretor, e que eu não deveria ter remorsos porque eu estava no fundo fazendo isso para o sucesso do marido, e que isso era uma prova de amor. Minha reação, era sair correndo, mas ele era persuasivo, falando que no mundo dos negócios é assim que as coisas são, e que dependendo da minha reação, ao invés de ser promovido, meu marido poderia ter muitas dificuldades, e que tudo só dependia de mim.

Eu disse que namorava meu marido desde muito nova, e que até hoje, ele foi o único homem que conheci, e que sempre fui uma mulher fiel. Ele, muito sábio, disse que isso não seria traição, pois todos estavam unidos no esforço para promover meu marido, ele estava lutando também dentro da empresa e eu também estaria fazendo a parte de esposa dedicada.

Quando perguntei o que ele pretendia de mim, ele como dirigente de grande empresa, foi direto : “Nós vamos agora num motel, podemos almoçar lá mesmo, e a tarde você já volta para sua casa, com o sentimento de ter batalhado pelo sucesso do marido”. Depois de muito pensar, de pesar os prós e o contra, depois de imaginar a alegria do meu marido sentado naquela sala com secretária, com carro da empresa, eu disse que eu iria tentar, mas que caso não conseguisse me relaxar que ele não forçasse e se eu desistir de fazer algo, no motel, que ele prometesse não perseguir meu marido, esquecesse o assunto. E que seria apenas uma única vez, apenas naquela tarde e nunca mais, depois disso deveríamos esquecer e termos um relacionamento normal como se nada tivesse ocorrido, principalmente para meu marido não desconfiasse de nada. Ele aceitou todas minhas condições e mandou que eu o esperasse no subsolo, até ele desse instruções para a secretaria, pois diria que ia almoçar com um cliente.
Fui pelo elevador direto para o sub-solo, por sorte, não tinha ninguém, e fiquei escondida num cantinho, pois dava a impressão que se alguém visse, já saberia que eu estava a caminho do motel com o chefe do meu marido.
Logo ele chegou e saímos no carrão importado dele, com vidros escurecidos, graças a Deus. Eu ia tremendo de nervosismo, até que ele entrou no motel, eu relutei na hora de entregar meus documentos na portaria, ele pediu a melhor suíte, entrou na garagem da suíte e a porta se fechou automaticamente assim que o carro entrou.

Com todo cavalheirismo, ele abriu minha porta, e me conduziu para o quarto, eu tremendo com uma vara verde, era a primeira vez que estava com um homem diferente do meu marido em um motel. Ele foi muito carinhoso, não veio me atacando, com toda gentileza, pediu duas garrafas de champagne, queijos, e ficamos tomando sentados um na frente do outro na mesinha do terraço junto a piscina com água aquecida, saboreando a deliciosa champagne. Com estomago vazio e champagne, logo fui ficando alta, até que ele convidou para irmos tomar uma sauna, que fazia bem para a saúde. Logo ele entrou no banheiro e saiu com uma apenas uma toalha enrolada na cintura, e ficou olhando para mim, ele alto, bonitão com uma toalha enrolada na cintura. Tomei coragem fui ao banheiro, me despi, toda trêmula, e me enrolei numa toalha cobrindo dos seios até o meio das coxas.

Saí tremula, e ele me conduziu à sauna e ficamos sentados um ao lado do outro, num estrado de madeira, e com o vapor começando a encher o ambiente. Logo, havia tanto vapor, que até a respiração já se tornava um ato forçado, os azulejos ficaram todos úmidos e começava a gotejar, nossos cabelos também todo úmido, nossas mãos, rosto todo úmidos e pingando, o calor foi ficando insuportável, ele continuava me animando me fazendo sentir como se fosse a coisa mais natural. Eu me sentia bem porque até aquele momento, ele não tentou em nenhum momento me agarrar, apenas ficava falando junto ao meu ouvido, me deixando arrepiada, afinal ele é lindo e forte.

Na sauna, tinha um registro no alto da parede, ele perguntou se eu conseguiria pegar o registro e girar para entrar um pouco de ar fresco na sauna, eu disse que não daria pois o registro ficava a uns 2,50m justamente para ninguém mexer, mas ele disse que deveríamos girar um pouco para tornar o ar mais fresco. E sugeriu de eu subir nas costas dele, como as crianças que ficam no ombro dos pais para enxergar melhor, e que ele ficaria em pé comigo sobre os seus ombros, eu iria alcançar. Como estávamos altos devido champagne, levando tudo como uma brincadeira, aceitei rindo, e subi nas costas dele, passando cada coxa ao lado da bochecha dele. Mas para eu poder sentar no ombro dele, tive de puxar a toalha para cima para deixar minhas pernas e coxas livres, não liguei porque ele estava de costas, e não via nada, mas quando sentei nas costas dele, ele sentiu meu bumbum nas costas, as coxas em cada lado do pescoço, e para me segurar, ele passou cada mão sobre cada coxa.
Ele se levantou devagar, eu comecei a ficar excitada, afinal minha vagina estava esfregando na parte traseira do pescoço, dele. Tentei segurar e girar o registro mas não consegui, nessa tentativa, a toalha dele caiu e vi o tamanho da excitação dele, enorme, rígido ! Meus líquidos vaginais começaram a escorrer, eu sentia ficar cada vez mais lisa a superfície entre minha vagina e o pescoço dele. Quando tentava girar o registro, minha toalha também caiu, e já nem liguei mais para o fato de estar toda nua, sentada nas costas do chefe do meu marido, nem de ele mostrar uma ereção descomunal, o clima era de desejo, de excitação, de tesão. Eu esqueci que nunca ficara nua com outro homem, nem que era casada, nem que jurara fidelidade no altar, nada disso. Ele me girou para frente dele, de modo que minha vagina se encaixou no pomo de adão dele, e começou a me descer, segurando minhas nádegas, uma em cada mão. Quando meus seios passaram pela sua boca primeiro falou “que peitão lindo que você tem, parece uma mamão dos grandes e firmes, vou chupar cada um deles como um bebezinho” e eu quase gritava dizendo “chupa, chupa, me mata de tesão”, ele os abocanhou e ficou mamando longamente cada um dos seios, chupando e mordiscando os mamilos, passando a língua, e eu não conseguia conter os gemidos, eu continuava a me molhar tanto que sentia pingar no chão, pois estava com as coxas abertas ao Maximo, a vagina arregaçada.

Depois quando ele começou a me descer mais, eu abracei o corpo dele com minhas pernas, entrelacei minhas pernas nas costas dele e as mãos no pescoço dele, e ia soltando de pouco a pouco a medida que ele me abaixava, até que aconteceu o inevitável, o pênis dele começou a roçar minha vagina, eu gemia toda vez que o pênis dele pincelava todo rasgo da vagina, do clitóris até o anus. Ele olhou para mim, e perguntou, “posso te foder ?”, eu assenti com a cabeça. Ele disse “então pede para eu te comer” Eu disse, “você quer me matar de tesão, seu malvado, por favor me come, me fode, me fode toda”, ele continuou, dizendo que eu tinha que pedir para meter o pau, e eu disse, “por favor, me fode com esse seu pauzão, me come, me fode por favor, não estou agüentando de tesão”.
Ele com as mãos, encaixou a cabeça do pênis na minha vagina e começou a penetrar lentamente. Nem pensei no fato de estar sem camisinha, nem no fato de aquele ser o primeiro pênis estranho que minha vagina abrigava, só sentia o quanto ele era bem dotado, ia me abrindo toda centímetro a centímetro, bem lentamente, de modo bem carinhoso enquanto ele me beijava e nossas línguas se encontravam.

Senti a cabeça do pênis tocar meu útero, coisa que nunca senti com meu marido. Ele dizia, “puta merda, que delicia de buceta que você tem, apertadinha, quente, molhada, lisinha e mordendo meu cacete”. O pênis do Andrade era mais grosso e muito mais comprido que do meu marido e eu sentia isso, nunca me senti tão preenchida. Quando entrou tudo, ele com as mãos fortes me suspendia para que o pênis fosse saindo pouco a pouco e depois enterrava tudo outra vez. Na quarta ou quinta vez que seu pênis invadiu minha vagina, não agüentei e gozei aos gritos, nunca senti tanto tesão na vida. Comecei a estremecer e a gemer, e ele não agüentou e ejaculou dentro, bem no útero, gritando “puta que o pariu, não agüento mais,vou gozar na sua bucetinha, toma meu leitinho, toma”, senti um jato forte, quente e prolongado em várias golfadas.
Minha vagina pela primeira vez na vida, estava conhecendo um esperma diferente do meu marido.

Ele se sentou no estrado de madeira, e eu continuava sentada de frente, com o pênis dentro, pois ao contrario do meu marido que o pênis saía da vagina ao ejacular ao ficar flácido, o do Andrade, mesmo flácido, devido comprimento, continuava dentro de minha vagina, eu sentia ele dentro, me causando uma sensação indescritível de prazer.

Ficamos conversando longamente sempre com o pênis dele dentro de mim, até que ele depois de um tempo, ele ficou com o pênis ereto, que cresceu dentro de mim e o meu tesão também aumentou com isso. Ele sempre me segurando forte e com o pênis entalado na minha vagina, me levou até a cama, onde me deitou com todo carinho, e começou a me possuir na posição clássica. Continuava me elogiando, dizendo “você é linda, tesuda, que peitão, que delícia de buceta, meu amor, nunca vi uma mulher mais perfeita, você me matava de tesão desde que a vi pela primeira vez, sempre sonhei em te comer, já imaginava como era o seu peito pelo decote do vestido daquele dia, nunca imaginei que tivesse uma bucetinha apertada, quente, molhadinha assim” Novamente, após um longo vai e vem, onde cheguei a ter alguns orgasmos me estremecendo e gritando, ele também, fez uma careta, e disse “caralho, não agüento mais, vou gozar de novo, toma leitinho” e lançou jatos de esperma dentro da minha vagina. Depois disso me colocou sobre ele, sempre com o pênis dentro da minha vagina, ficamos conversando e quando ele se excitava me possuía, nem sei quantas vezes isso durou. Só sei que saímos do motel um pouco antes do avião do meu marido chegar em SP. Por telefone ele me disse que estava num taxi e que em 15 minutos já estaria em casa, eu atendi dentro do carro do Andrade, em frente ao meu prédio, pois como estava chovendo estava esperando diminuir a chuva.

O Andrade fez mil elogios, disse que eu era uma esposa perfeita, a mais linda mulher que ele conheceu, e que eu cumpri minha parte e ele iria cumprir a dele. Eu estava preocupada com a chegada do meu marido e queria descer logo, e ao me inclinar para ele para dar um beijinho de despedida, ele me puxou me abraçou forte, me deu um beijo na boca, com a língua entrando na minha boca, acabei correspondendo, afinal ele é um homem lindo, charmoso, senti ele levantando minha blusa, tirando meus seios do soutien com as mãos, eu lutava, preocupada, mas devido a chuva não tinha transeunte e com os vidros escuros, nada se via de fora, ele acabou tirando meus seios, e passou a chupá-los lambendo deliciosamente cada mamilo, até que eu recobrei a sensatez, me recompus e como a chuva tinha diminuído, corri para dentro. Foi só eu chegar em casa, tirar os sapatos e colocar um chinelo, e meu marido já chegou. Estremeci ao perceber o quanto eu arrisquei. Ele me abraçou, me beijou, fiquei até com medo de ter gosto diferente na boca. Meu marido me pediu desculpas por ter pedido para levar o documento. Se ele soubesse ….

Meu marido me puxou para tomarmos um banho junto, não tive como recusar, ao me despir, percebi que meus seios apresentavam vermelhidão onde ele ficou chupado, tinha marcas das mãos quase imperceptíveis mas eu notava, e por isso ficava de costas encostada nele para não ter perigo de ele ver. Quando ele me possuiu, fiquei temerosa de ele perceber que minha vagina estivesse mais aberta, mas pelo visto ele não percebeu nada, graças a Deus.
No dia seguinte meu marido me ligou todo eufórico, dizendo sobre ter sido promovido e que a noite iríamos comemorar num restaurante, com isso meu peso na consciência diminuiu.

Prezados Senhores :
Neste momento de fúria, com instinto vingativo que me domina, autorizo os Srs. a publicarem este desabafo meu. Só peço que me escrevam pelo e-mail : Maria_cristina_toledo@ hotmail.com
Informando onde foi publicado, para eu poder ler. Vou enviar agora, antes que me arrependa e delete.
São Paulo, 21 de maio de 2008

Read more

Adrielly by admin

Sou muito carinhosa e tranqüila, aplico massagem, tenho dedos e língua atrevida e tenho também acessórios para homens mais liberais. Conheça um pouco mais sobre a minha intimidade. Seios fartos, coxas grossas e barriguinha sarada. Cama perfeita,completa de verdade… sem decepções, experimenta!!

Minha ultima experiência: Me ligou um cliente dizendo que queria apenas massagem, respondi claro que sim, pois sou ótima massagista, fui ao hotel que ele estava, levei meus cremes e acessórios. Cheguei no hotel, fui no banho e voltei toda nua, ele já estava deitado de costas, comecei com massagem nos pés, depois nas costas, ombros, e por ultimo nas coxas… quando massageei as coxas, senti que ele se empinava, e aquilo me deixou com tesão, massageei próximo ao anus, e passei minha linguinha no cuzinho dele, ele ficou todo arrepiado, tentei colocar o dedinho, mas ele não curtiu. Então respeitei e continuei chupando o cuzinho dele, quando viu o membro já estava duro como pedra e eu cai de boca, chupei com vontade mesmo.

Ele tocou minha bucetinha e ficou surpreso por estar bem molhadinha, ele pegou o preservativo e vestiu aquele membro duro. Sentei no pau dele, e comecei a me esfregar em cima dele, eu toda excitada gozei rapidinho. Depois fique de quatro, ele deu uma lambidinha no meu cuzinho y meteu devagar no meu cuzinho, depois foi acelerando com estocadas mais fortes ate que gozou…

Pra quem queria apena uma massagem, foi uma foda muito gostosa!!!

Read more

Como anunciar se você é acompanhante by admin

1º PASSO: ACCESO NA REDE CONTATOS MAIOR DO MUNDO

O equipe de Garotas Acompanhantes de Luxo ACOMPANHO.COM recomenda fortemente a inscrição gratuita na rede Adultfriendfinder onde numerosos contatos adultos são efetuados diariamente com a maior seguridade. Você escolhe segundo as características desejadas, ou seja, idade, profissão, raça e muitas outras. A boa experiência das nossas modelos tem trazido um beneficio extra na atividade das acompanhantes.

Inscreva-se gratuitamente aqui no Adultfriendfinder

2º PASSO: POSTULAR PRO BOOK DE ACOMPANHANTES

O perfil de nossos visitantes é clientes masculinos no Brasil, França, Espanha e os EEUU com elevado nível econômico que procuram exclusivamente acompanhantes de luxo. Ai num primeiro contato, nos requeremos o envio de 5 fotos das candidatas com uma descrição completa delas dando especial importância a especificação da disponibilidade geográfica delas.

Informação requerida:
-Fotos.
-Email contato.
-Telefone contato.
-Descrição da acompanhante e do serviço (disponibilidade geográfica).
-Nome usuário adultfrienfinder.

Toda essa informação será enviada pro endereço email contact@acompanho.com

3º PASSO: CONFIRMAÇÃO E APROVAÇÃO PRO LISTADO DE ACOMPANHANTES

Uma vez aprovada a solicitação receberão pelo email a forma de pagamento. Nosso equipe acompanhara o procedimento ao telefone em tudo aquilo que for necessário.

Vantagens e Questões Importantes:

– Você atenderá diretamente os interessados : Os contatos recebidos serão diretos em seu telefone, sem intermediários ou comissões. Publicando seu anúncio os interessados ligarão diretos para você.

– EXCLUSIVIDADE com a sua própria página pessoal e a possibilidade de alterar seu anúncio e fotos

– Menor custo e maior resultado : Diferente dos jornais impressos seu anúncio terá alcance mundial além de conter fotos e textos por um custo muito baixo. Um anúncio de duas linhas num jornal custa mais de R$ 30,00 por um único dia. Compare os custos, divulgue sua fotos por um mês inteiro e depois decida se continua ou não.

– Privacidade total e sigilo absoluto : a modelo terá total segurança em suas informações e o mais absoluto sigilo em suas imagens, sendo apenas divulgados dados previamente autorizados.

Read more